• 3 de agosto de 2021

Caiado anuncia, para setembro, retomada de obras do Hospital de Águas Lindas de Goiás

O governador Ronaldo Caiado confirmou, nesta segunda-feira (12), durante evento de lançamento do serviço de recuperação da GO-547, em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal (DF), que as obras do Hospital Estadual do município serão retomadas em setembro. A construção da unidade hospitalar foi iniciada pela prefeitura, em 2007, repassada ao Estado, em 2013, e paralisada, em 2018, na gestão anterior.

Veja também

“Vocalizem a necessidade de as pessoas tomarem a segunda dose”, pede Caiado durante Convenção Estadual dos Ministros das Assembleias de Deus em Goiás

Caiado relembrou os entraves políticos para a retomada dos serviços, mas ressaltou que a população terá o benefício. “Fizeram de tudo para não concluir este hospital. Não é falta de verba. Ela está depositada. Deputados federais e senadores também ajudaram. É toda a burocracia que tentaram arrumar e dificultar. Mas vamos fazer isso aqui. No ano que vem, vamos entregar”, disse.

Leia também   Camex zera imposto de importação de agulhas e seringas

“Em 20 anos, por que nenhuma dessas obras foi instalada e atendeu nenhum paciente? Porque o pensamento anterior, todo mundo sabe qual era”, afirmou o governador. “Ao chegar ao governo, estadualizei hospitais. Sabe quanto vai nos custar Águas Lindas? R$ 120 milhões por ano. Mas vamos fazer e entregar. É compromisso moral do governador Ronaldo Caiado”, frisou.

Projeto

Em 2021, a responsabilidade pela construção do Hospital Estadual de Águas Lindas de Goiás foi passada pelo governo à Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra). O órgão identificou a necessidade de atualização do projeto executivo do espaço. No projeto inicial, a área construída prevista era de 11.484,82 metros quadrados. Após os trabalhos da Goinfra, foram acrescentados mais 4.429,55 metros quadrados ao local. Com isso, a unidade passará a ter 15.914,37 metros quadrados.

“A gente quer voltar aqui no começo de setembro para uma grande celebração da população, que terá o retorno da obra, com sua presença, governador”, projetou o presidente da Goinfra, Pedro Sales. “Trabalhamos, incansavelmente, pois sabemos do dilema que era esse hospital. Aqui terá assistência à saúde de mães e recém-nascidos e, em casos de gravidez de alto risco, as famílias não vão mais ter de ir até Goiânia. Esta é a razão da regionalização, levar saúde até onde existe necessidade, onde está o cidadão”, arrematou ele.

Leia também   Educação deve nomear 821 professores efetivos até sexta-feira

“Esse é um hospital que há anos dá trabalho. Mas, certamente, até junho, será uma realidade. É uma questão de honra atender isso para mim e para o governador”, reforçou o secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino. “Será o terceiro hospital estadual da região. Nós temos Formosa, Luziânia e teremos aqui a mais robusta obra da saúde no Entorno do Distrito Federal, que é tão vulnerável, populoso e que tanto necessita”, concluiu.

Atendimento

Unidades funcionais também foram incluídas ao projeto. O Hospital Estadual de Águas Lindas de Goiás contará com Banco de Leite Humano; Banco de Sangue e Agência Transfusional; Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal com 10 leitos; cinco berços na unidade hospitalar voltada para cuidados e atendimentos de recém-nascidos considerados de médio risco (UCINCo) e três leitos no espaço destinado ao acolhimento humanizado às mães e familiares dos bebês prematuros (UCINCa).

Leia também   Procon Goiás orienta consumidores sobre a Lei do Superendividamento

Ainda terá UTI Pediátrica, com 10 leitos; UTI Adulta (20 leitos); Unidade de Pronto Atendimento (32 leitos); 84 leitos de internação em dois blocos; ambulatório com 22 consultórios; Unidade de Imagenologia; Unidade de Hemodinâmica; centro cirúrgico com oito salas; três salas no Centro Obstetrício, com acessos independentes, além de bloco de vestiários e áreas de descanso para funcionários e equipes terceirizadas, e uma Central de Segurança e Monitoramento.

(Portal Goiás)

Read Previous

Dólar cai pela primeira vez no mês e fecha a R$ 5,17

Read Next

Anvisa pede alteração de bula de vacinas Janssen e da AstraZeneca para incluir evento adverso