• 21/06/2024

Mitos sobre o câncer de mama

Outubro é o mês de conscientização sobre o câncer de mama. Nos últimos anos, os indicadores de mortalidade e sobrevida das pacientes melhoraram consideravelmente, mas falta ainda reduzir a taxa de diagnósticos tardios, quando o tumor já está avançado. Nesta edição, falo sobre os mitos e verdades deste que é o segundo principal tipo de câncer nas mulheres, atrás apenas dos cânceres de pele do tipo não-melanoma.

Veja também

Erros cruciais no agachamento: personal revela os 4 principais

Outubro rosa e a importância da prevenção

A imagem de um símbolo em formato de fita rosa, com a mão sobre o peito, automaticamente nos recorda a importância de fazer o autoexame nas mamas —e, caso algo seja detectado, seguir para uma consulta médica para solicitar os exames mais específicos.

Dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer) para o triênio de 2023 a 2025 estimam 74 mil novos casos por ano de câncer de mama no Brasil. Mas a verdade é que a prevenção vai muito antes do diagnóstico precoce.

Em todo o mundo, as taxas de sobrevida após o câncer de mama melhoraram, muito relacionado à detecção e tratamento precoces. Porém, muitas desigualdades ainda são observadas entre locais (países ricos ou pobres), classes sociais e até cor da pele.

Leia também   Sucos podem ajudar no emagrecimento saudável; veja 10 dicas

Nos EUA… Um estudo mostrou que mulheres negras e latinas têm maiores índices de mortalidade por câncer de mama do que as mulheres brancas.

  • Isto pode estar relacionado tanto ao acesso aos centros médicos quanto ao tipo de atendimento que elas recebem: infelizmente, a discriminação por parte de muitos profissionais podem fazer com que uma mulher nessas condições tenha seus sintomas menosprezados e descubra a doença já em um estágio avançado.

No Brasil… Uma pesquisa encomendada ao Instituto Datafolha pela farmacêutica Gilead Sciences, lançada no último dia 27, mostrou que respondentes negras e de classes D e E afirmaram conhecer menos sobre o câncer de mama do que as suas pares brancas.

Assim, isso mostra que não há apenas uma barreira no acesso ao atendimento médico, mas também à informação de qualidade sobre a condição.

Mitos e verdades sobre o câncer de mama

Há, ainda, uma dificuldade em filtrar as informações que chegam. No caso do câncer de mama, muitos mitos sobre a doença precisam ser derrubados.

Veja abaixo oito desses mitos, colhidos do Instituto Oncoguia, um dos mais antigos portais voltados para o paciente com câncer no país:

Leia também   Dores no corpo: como aliviar o desconforto nos dias frios

1) Sou muito jovem para fazer mamografia

Este é um mito comum que, infelizmente, leva muitas mulheres a não realizarem o exame anual. O câncer de mama pode acometer mulheres jovens, com menos de 40 anos e, apesar do rastreamento oferecido na rede pública de saúde ser ofertado a mulheres acima de 40 anos, em pacientes com risco aumentado, o exame pode ser feito a partir dos 35 anos de idade. É sempre bom consultar seu/sua médico/a ginecologista para saber a necessidade de fazer o exame anualmente.

2) Não há nenhum caso de câncer na minha família, por isso não tenho risco

Cerca de 15% dos casos de câncer de mama registrados no país são hereditários, enquanto a maioria (85%) não tem nenhum histórico familiar da doença. Por isso, é importante fazer o rastreamento mamográfico mesmo assim.

3) A mamografia faz mal à saúde

Não há nenhum risco além do esperado em qualquer outro exame que utilize raios-X da mamografia em relação à radiação emitida, uma vez que ele utiliza feixes de baixa energia.

4) O exame é caro

A mamografia é oferecida a toda e qualquer mulher no Brasil pelo SUS (Sistema Único de Saúde), além de ter cobertura obrigatória também dos planos de saúde.

Leia também   4 esfoliantes caseiros para cada tipo de pele

5) Fazer o autoexame todos os meses substitui a mamografia

Embora seja importante fazer o autoexame, assim como as consultas ginecológicas anuais, a Sociedade Americana do Câncer recomenda realizar a mamografia também uma vez por ano. Isto pode aumentar as chances de diagnóstico precoce.

6) Como me alimento bem e faço atividade física, não vou ter câncer

É claro que manter uma dieta equilibrada e praticar exercícios são fundamentais para mandar uma vida saudável e diminuir o risco de doenças, inclusive o câncer, mas isto não o elimina completamente. Assim, os exames periódicos também são fundamentais para manter o cuidado com a sua saúde e das mamas em dia.

7) Desodorante causa câncer

Isto é uma bobagem que não possui nenhum fundamento. Os desodorantes comercializados, mesmo os aerossóis, passaram por órgãos de regulação e controle e são totalmente seguros para uso na pele, sem nenhuma relação com risco para câncer.

8) Ter uma vida sexual ativa protege contra o câncer

Embora seja importante para o bem-estar e saúde emocional, não há nenhuma relação entre a prática sexual e o surgimento da doença. A amamentação, porém, é um fator de proteção contra o câncer.

E você, está em dia com seus exames de mamografia?

(Folha de São Paulo)

 

Read Previous

Brasileiros estão entre reféns mantidos pelo Hamas em Gaza, diz Israel

Read Next

PIX JUDICIAL | Único banco do País a dispor da ferramenta, BRB amplia o serviço