• 16/06/2024

Celular Seguro | App que bloqueia celular roubado já está disponível

O app Celular Seguro, solução oficial do governo federal para bloquear celulares roubados, furtados e perdidos, foi lançado oficialmente nesta terça-feira (19). O programa permite que aplicativos, números e o próprio aparelho sejam protegidos com poucos toques, agilizando a notificação sobre o crime para operadoras, bancos e outros prestadores de serviço.

Veja também

Apple vai reforçar segurança de dados para proteger iPhones contra roubos

O app foi desenvolvido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) em parceria com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e instituições do país e está disponível para Android e iOS (ainda indisponíveis) e também na web (já disponível — confira o tutorial logo abaixo). É justamente essa integração que, na promessa do governo, ajuda no bloqueio universal dos celulares roubados, travando desde o IMEI até aplicativos bancários, números de celular e outros sistemas.

Vinculado à conta gov.br, o Celular Seguro também tem uma versão para computador. A recomendação, claro, é que o app seja instalado tanto no próprio aparelho do usuário quanto em outros dispositivos (seus ou de seus familiares, por exemplo), que são usados para realizar o bloqueio em caso de roubo. O software também tem um sistema de pessoas de confiança, que devem ser registradas para bloqueio dos dispositivos.

A promessa do governo é que os dados de furtos e roubos cadastrados no aplicativo serão compartilhados com operadoras de telefonia e serviços financeiros para a realização dos bloqueios. O MJSP, entretanto, lembra que o uso do Celular Seguro não substitui boletins de ocorrência, com os cidadãos ainda precisando procurar as autoridades policiais para registrar o crime.

Leia também   Coronavírus já circulava antes do primeiro caso na China, diz estudo

O que será bloqueado pelo app Celular Seguro?

De acordo com o secretário-executivo do MJSP, Ricardo Cappelli, aplicativos bancários e os próprios aparelhos, através do IMEI, serão os primeiros bloqueados no lançamento do Celular Seguro. Na sequência, atualizações do software vão permitir também a suspensão de linhas telefônicas, mensagens de texto e outros apps.

Além da Anatel, instituições como o Banco do Brasil, Bradesco, Uber, Caixa, Inter, Sicoob e Sicredi fazem parte dessa etapa inicial. Ainda, o aplicativo do governo federal conta com o apoio da ABR Telecom (Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações), que é responsável pela portabilidade de números.

Leia também   Apple reduz produção de iPhone 14 em 3 milhões com demanda fraca

Como usar o Celular Seguro

Antes de registrar uma ocorrência é preciso cadastrar o celular em sua conta. Feito isso, para bloquear um dispositivo pelo app do governo federal, siga os seguintes passos:

  1. Acesse celularseguro.mj.gov.br;
  2. Clique em “Registrar ocorrência”
  3. Clique em “Meus telefones” (caso seja o dono do aparelho roubado) ou “Telefone de Confiança” (se o aparelho for de um contato conhecido);
  4. Na lista, selecione o celular que será bloqueado e clique em “Alerta”;
  5. Preencha os dados solicitados, com data, hora, estado, cidade e o tipo de situação que levou à perda do aparelho;
  6. Clique em “Emitir” e anote o número de protocolo.
Leia também   Como usar o WhatsApp em mais de um PC ao mesmo tempo
App Celular Seguro, do governo federal, compartilha registro de roubos de smartphones com a Anatel, bancos e outras instituições para bloqueio imediato dos aparelhos (Imagem: Divulgação)
App Celular Seguro, do governo federal, compartilha registro de roubos de smartphones com a Anatel, bancos e outras instituições para bloqueio imediato dos aparelhos (Imagem: Divulgação) Foto: Canaltech

Após o registro, as instituições ligadas ao app Celular Seguro serão notificadas para que o bloqueio de números, IMEI, aplicativos e serviços seja realizado. Mesmo assim, vale a pena entrar em contato direto com as empresas para garantir a segurança dos dados após o roubo do smartphone.

Canaltech

Read Previous

Conheça seis frutas da estação que você deve experimentar

Read Next

Lula participa de jantar na casa de Barroso com ministros do STF, sem Mendonça e Cármen