• 20/06/2024

Lula participa de jantar na casa de Barroso com ministros do STF, sem Mendonça e Cármen

O presidente Lula (PT) participa na noite desta terça-feira (19) de um jantar com oito dos atuais dez ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), além de Flávio Dino, futuro integrante da corte.

Veja também

Campanha de fim de ano do governo destaca emprego e união das famílias

O evento é realizado na casa do presidente do Supremo, Luís Roberto Barroso.

Além de Barroso, estão no jantar com Lula os ministros Edson FachinGilmar MendesDias ToffoliLuiz FuxAlexandre de MoraesKassio Nunes Marques e Cristiano Zanin. Os ministros André Mendonça e Cármen Lúcia não compareceram por estarem em São Paulo e Belo Horizonte, respectivamente.

Leia também   Bolsonaro pede que países ajudem a combater comércio ilegal de madeira

Barroso disse ao chegar que o encontro ocorre a pedido de Lula. Ele classificou o jantar na sua casa como uma conversa institucional de cortesia.

A posse dele na corte ocorrerá na segunda quinzena de fevereiro, provavelmente no dia 22.

Ele pretende continuar nas próximas semanas no Ministério da Justiça, até que o presidente escolha um novo titular para a pasta.

No Senado, Dino recebeu recebeu 47 votos a favor e 31 contra —com duas abstenções. No mesmo dia, foi aprovado o nome indicado por Lula à PGR (Procuradoria-Geral da República), Paulo Gonet, com 65 votos a favor, 11 contrários e uma abstenção.

Leia também   Manifestantes pró-Bolsonaro protestam contra governadores em Brasília

No jantar desta terça, Lula está acompanhado da primeira-dama Rosângela Lula da Silva, a Janja.

No STF são julgados processos de interesse do governo federal, a exemplo da ação que questiona os dispositivos da Lei das Estatais que restringem a indicação de políticos para cargos em conselhos e diretorias de empresas públicas. No início do mês, Kassio paralisou o julgamento por meio de um pedido de vista (mais tempo para análise).

Também tramita no STF inquérito contra o ministro das Comunicações, Juscelino Filho (União Brasil), que pode ficar sob relatoria de Dino caso ele não se declare impedido. Moraes também conduz inquéritos que investigam o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), adversário político de Lula.

Leia também   Eleições: candidatos agora só podem ser presos em flagrante

(Folha de São Paulo)

Read Previous

Celular Seguro | App que bloqueia celular roubado já está disponível

Read Next

Programação do transporte público para o Natal