• 21/06/2024

Um medicamento inovador simula os efeitos do exercício físico e auxilia na perda de peso

A comunidade científica se entusiasmou com os resultados de um novo medicamento que promete ajudar na redução do peso de pacientes que sofrem de obesidade, diabetes e outras complicações clínicas.

Veja também

Onda de calor: 7 maneiras de manter a saúde na temporada quente

Segundo o estudo publicado na revista Journal of Pharmacology and Experimental Therapeutics, o remédio imita os efeitos do exercício no corpo e já apresentou resultados promissores durante o teste em animais. Os músculos dos ratos que tomaram a medicação entenderam que o corpo estava se exercitando mais do que realmente estava, estimulando o metabolismo dos animais.

Leia também   Melhores inibidores de apetite: naturais e de farmácia

“Este composto basicamente diz ao músculo esquelético para fazer as mesmas mudanças que você vê durante o treinamento de resistência. Quando você trata ratos com a droga, você pode ver que todo o metabolismo do seu corpo passa a usar ácidos graxos, o que é muito semelhante ao que as pessoas usam quando estão em jejum ou se exercitando. E os animais começam a perder peso”, declarou o professor de farmácia da Universidade da Flórida, Thomas Burris, que liderou a pesquisa, em comunicado.

O novo remédio ainda está em período de testes em ratos obesos. Ele estimula uma via metabólica natural e não afeta o apetite, como medicamentos tradicionais fazem (Ozempic, Wegovy, Mounjaro). Esta medicação pertence a um grupo de substâncias chamadas de “miméticas do exercício”.

Leia também   Se manter ativo reduz casos graves de Covid-19; veja 5 dicas

Na pesquisa, os ratos que receberam o remédio duas vezes por dias ganharam 10 vezes menos gordura do que os animais não tratados e perderam 12% do peso corporal. Todos os animais continuaram comendo a mesma quantidade de comida e praticando a mesma quantidade de exercícios durante um mês.

Além desses efeitos, a nova droga também fez com que os ratos conseguissem correr quase 50% mais longe do que antes. Até o momento, a droga não causou efeitos colaterais. O próximo passo é transformar a medicação em comprimidos; ela ainda será testada em mais modelos animais antes de ser testada em humanos.

Leia também   Na fila para ser privatizado, Correios têm lucro de R$ 1,5 bilhão

(Portal Terra)

 

Read Previous

Jair Bolsonaro enfrenta novo desconforto e precisa passar por lavagem intestinal novamente em hospital

Read Next

Último dia para se inscrever no QualificaDF