• 24 de outubro de 2021

InovOAB ganha força e ofusca chapas de Thais Riedel e Délio Lins

Por Toni Duarte – Radar-DF

Com grande adesão da maioria da classe dos advogados do DF em torno da terceira via, liderada por Guilherme Campelo, os dois grupos que se alternam no comando da “Velha Ordem”, há quase duas décadas, começaram a perder força na corrida à presidência da OAB/DF.

Veja também

Bolsonaro ameaça mais uma vez agir fora da Constituição

Pesquisas internas de monitoramento, realizadas entre a comunidade advocatícia do Distrito Federal, Guilherme Campelo, da chapa criada pelo “Movimento InovOAB”, lidera a disputa pela presidência, deixando para trás sua concorrente Thais Riedel e, mais ainda, o atual presidente e candidato à reeleição, Délio Lins.

Leia também   DF terá 34ºC nesta quinta (17); chuva só deve voltar na próxima semana

O crescimento de Guilherme Campelo sobre os dois candidatos, que representam os grupos oligárquicos que dominam a instituição por quase duas décadas de mandonismo, está no fato de defender uma radical mudança e quebra de paradigmas que há 18 anos deixam excluídos a maioria absoluta dos quase 70 mil advogados que atuam no DF.

Esse exército de excluídos fica bem mais visível neste período de pandemia, que levou centenas de advogados, principalmente os que estão iniciando na carreira, a fecharem seus escritórios em face da crise financeira.

Para receber a humilhante cesta básica oferecida pela Ordem no decorrer da pandemia, muitos foram obrigados judicialmente pelo atual comando da OAB/DF a pagar sem ter, a escoante anuidade de R$ 850, 00.

Leia também   Bolsonaro coordena hoje 38ª Reunião do Conselho de Governo

O movimento InovOAB liderado por Guilherme Campelo chegou a sugerir que a OAB/DF isentasse os advogados do pagamento da última parcela da anuidade dada a situação econômica trágica que atingiu toda a categoria.

Guilherme Campelo justificou que dezenas de escritórios de advocacia sofreram perdas de receita e continuavam arcando com aluguéis e salários de funcionários. No entanto, o pedido foi negado.

A firme atuação do líder do Movimento InovOAB rendeu cumprimentos por parte do ex-presidente da OAB/DF e governador do DF, Ibaneis Rocha.

Para ajudar os advogados a superarem os impactos da crise financeira, Guilherme Campelo, caso seja eleito no dia 21 de novembro, afirma que o seu primeiro compromisso é cortar, pela metade, o valor da anuidade em 2022 e abrir linhas de crédito para ajudar aqueles profissionais que mais precisam se estabelecer no mercado.

Leia também   Blogueiros da ABPP aprovam contas da atual diretoria e elegem novos diretores para o biênio 2021/2022

O crescimento do movimento InovOAB vai muito além das boas propostas apresentadas à classe neste período de pré-campanha.

O desejo de mudança é visível entre os advogados desde a última eleição ocorrida em novembro de 2018, quando 12 mil profissionais inscritos e habilitados a votar se recusaram a comparecer às urnas.

Esse grande contingente de advogados vê em Guilherme Campelo, a oportunidade de dar um basta na “Velha Ordem”.

Read Previous

Caiado anuncia 8 concursos para 2022, com 2.031 vagas na administração pública

Read Next

Vacina da Janssen tem validade ampliada para 6 meses, decide Anvisa