• 26 de setembro de 2021

OPINIÃO | É hora de voltar para a sala de aula e não fazer politicagem

Por Fabiana Oliveira*

O retorno das aulas presenciais nas escolas da rede pública do Distrito Federal pode não ocorrer da forma planejada pelo GDF. Os professores, incentivados pelo Sindicato dos Professores (Sinpro-DF) a não voltar para a sala de aula, aprovaram na última sexta (30) em assembleia virtual, um indicativo de greve.

Veja também

DF já sabe quem é Ibaneis

A decisão de querer fazer greve usa como pano de fundo a necessidade de garantir que todas as medidas sanitárias e protocolos contra Covid serão cumpridos pelo Governo do Distrito Federal. No entanto, sabe-se que o Sinpro-DF, que tem fortes ligações com partidos de esquerda, quer mesmo é fazer política contra o governo Ibaneis.

Leia também   Ibaneis prorroga fechamento de escolas e comércio no DF até maio

O GDF já demonstrou que a categoria de profissionais de ensino é prioridade e buscou imunizar boa parte dela com a dose única da vacina contra a Covid-19. Nem mesmo profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate à doença tiveram tal privilégio.

A outra parte que não recebeu a dose única, o GDF reduziu o intervalo da segunda dose para que todos pudessem estar imunizados até o retorno das aulas.

Com um ano desafiador como foi 2020, grande parte dos trabalhadores, independente da sua área de atuação, passaram por mudanças em suas rotinas, adquiriram novos hábitos e aprenderam uma nova forma de viver convivendo com a pandemia.

Leia também   Moradores de Ceilândia recebem cestas básicas e kits de insumos

Em síntese, profissionais das mais variadas categorias foram e estão sendo expostos a pandemia em busca de dias melhores para suas famílias e porque não dizer para o mundo.

Nesse contexto, surgem vários questionamentos como: por que tem que ser diferente com os professores da rede pública do DF? Por que eles não podem dar aulas como os seus colegas das escolas particulares? Os riscos que o Sinpro-DF alega que os professores serão submetidos não são os mesmos que os dos demais profissionais?

A falta de bom senso do Sinpro-DF e de uma minoria, não reflete as manifestações de professores nas redes sociais que, na sua maioria, estão loucos para voltar a ter contato com seus alunos. É hora de voltar para a sala de aula e não fazer política com o futuro educacional dos nossos jovens.

Leia também   OPINIÃO | O uso da inteligência artificial para acelerar a adequação à LGPD

* Fabiana Oliveira é editora-chefe e colunista do portal Destaque DF

Read Previous

Bolsonaro parabeniza manifestantes: ‘lutam por liberdade’

Read Next

Fim do recesso: veja quais são as prioridades do Congresso