• 26 de setembro de 2021

Governo de Goiás entrega 60 mil notebooks para alunos da 3ª série do Ensino Médio

Com investimento de R$ 144 milhões, computadores começam a ser distribuídos no retorno parcial às aulas presenciais, em agosto. Objetivo é dar condições de conectividade aos estudantes no regime híbrido de ensino. “Goiás hoje é referência nacional em educação. Temos escolas recuperadas, novos laboratórios, salas de aula, cozinha, garantia à alimentação e todo o equipamento necessário”, afirma governador Ronaldo Caiado

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), entrega 60 mil notebooks, do tipo Chromebooks, a todos os alunos da 3ª série do Ensino Médio da rede estadual de ensino. Os estudantes vão receber o equipamento no retorno parcial às aulas presenciais, em agosto. O investimento foi de R$ 144 milhões.

Veja também

Caiado anuncia promoção de policiais durante aniversário de 163 anos da PM e formatura de novos oficiais

O objetivo é dar condições de conectividade aos estudantes no regime híbrido de ensino. Os alunos poderão levar os computadores para casa e utilizá-los para estudar e participar das aulas remotas. Por meio da assinatura de um termo de cessão de uso, o aluno ficará com o computador até o final do ano letivo, quando irá devolvê-lo para a escola, a fim de beneficiar outro estudante no próximo ano.

Leia também   Desvios na saúde nos governos Agnelo e Rollemberg devem ser investigados pela CLDF

“Goiás hoje é referência nacional em educação. Temos escolas recuperadas, novos laboratórios, salas de aula, cozinha, garantia à alimentação e todo o equipamento necessário”, afirma governador Ronaldo Caiado sobre os avanços na área.

“Os investimentos que a atual gestão vem fazendo em tecnologia são inéditos e históricos. Os estudantes vão poder continuar a estudar em casa e com isso ganhar cada vez mais o poder de competitividade para enfrentar as provas do Enem”, destacou a secretária Fátima Gavioli.

Sobre a escolha da 3ª série para a entrega de computadores, a superintendente de Ensino Médio da Seduc, Osvany Gundim, justificou “Os estudantes da 3ª série vão prestar o Enem ou vão para o mercado de trabalho no final do ano. Considerando que ela foi uma das séries mais prejudicadas pela pandemia, temos muito o que fazer, do ponto de vista pedagógico, para minimizar as perdas de aprendizagem desses alunos”.

Leia também   Governo de Goiás ativa mais 35 UTIs para tratar pacientes com Covid-19

O que é Chromebook?

O superintendente de Tecnologia da Seduc, Bruno Marques, conta que o Chromebook é um computador similar ao notebook, porém com algumas diferenças. “A gente costuma chamar o Chromebook de um desktop educacional. Ele é mais leve, no sentido de que não tem um sistema operacional como o Windows (ele usa o sistema Google OS), e os aplicativos que se usa nele são semelhantes ao do celular”, explicou.

Bruno também ressaltou que, como muitas funcionalidades do Chromebook precisam de Internet, os alunos que não tiverem conectividade em casa podem usar a escola como ponto de apoio para baixar vídeos e atividades e atualizar os programas, e continuar estudando off-line em casa. “Eles podem ir para a escola, atualizar e carregar os programas, e depois continuar a trabalhar em casa”, reforçou.

Leia também   Governo de Goiás investe R$ 12 milhões em Centro de Excelência em Inteligência Artificial

Programa Conectar

Para garantir Internet de alta velocidade em todas as escolas estaduais, o Governo de Goiás lançou o programa Conectar, em maio deste ano. O programa destina às escolas estaduais, mensalmente, recursos proporcionais ao número de estudantes matriculados para a contratação de links de Internet com velocidade suficiente para atender todos os seus alunos e professores.

Os valores variam entre R$ 233,00, para escolas com menos de 210 alunos, e R$ 300,00, para as escolas com mais de 1.700 estudantes. O programa Conectar conta com investimento estadual de R$ 4,8 milhões.

Fotos: Seduc

(Secretaria de Estado de Educação (Seduc) – Governo de Goiás)

Read Previous

Legislação contra violência doméstica fica mais dura para agressores

Read Next

Flávia Arruda pede a Queiroga mais vacinas para conter a Delta no DF