• 20 de maio de 2022

Caiado entrega “esmola social” como moeda de troca no Entorno

Por Toni Duarte – Radar DF

Os municípios do Entorno, região considerada a mais pobre do estado de Goiás, continua invisível, até hoje, aos olhos do Palácio das Esmeraldas, que fica na rica capital Goiânia, a 200 quilômetros de distância.

Veja também

Caiado não cumpre promessa de retomar obras do Hugo 9 em Águas Lindas

Nos últimos três anos e meio, do governo de Ronaldo Caiado (União), a única obra do pré-candidato à reeleição, carregada a tiracolo, são os cartões do “programa mães de Goiás”, no valor de R$250, considerado por alguns ex-aliados como “esmola social” para amenizar a fome de famílias pobres da região.

A cada visita de Caiado, pelo interior goiano, famílias vulneráveis fazem filas e enchem auditórios, ainda que não tenham feito a primeira refeição do dia, para aplaudir Caiado, em seus eventos políticos.

Leia também   Caiado anuncia mais 140 mil doses de vacina contra Covid-19 para Goiás durante entrega do primeiro Ipasgo Clínicas especializado em saúde mental

A seis meses das eleições de outubro, em que o governador luta com todas as armas para se manter por mais quatro anos no poder, a “esmola social” distribuída, pessoalmente por ele, nos municípios do Entorno e no restante do estado, são como se fossem “santinhos” da propaganda eleitoral.

Os modus operandi caiadista começou chamar a atenção do próprio Ministério Público Eleitoral sobre a distribuição dos “cartões mães de Goiás”, que ocorre em cima de palanques armados que reúne, além de Caiado, pré-candidatos a deputados estaduais, federais e prefeitos de plantão.

Leia também   Bolsonaro diz que pretende ir a debates, mas põe condições

As denúncias chegadas ao MPE-GO, referem-se à distribuição dos cartões como “um gesto simbólico pela compra de votos”, expondo Ronaldo Caiado, em fotos, vídeos e discursos do governador.

Na visão dos mais criticos, a velha política goiana, que está no seu fim, criou um novo conceito: “se não existe almoço de graça, esmola também, não”.

Voltando a banda mais pobre do estado, o Entorno continua no mesmo status quo de sempre. A população segue abandonada, há décadas, de todas as políticas públicas.

O que há de diferente nesse ano político, em meio ao eleitorado do Entorno, é a informação chegada à palma das mãos, que faz do cidadão ficar mais esperto na hora de depositar o voto na urna.

Leia também   Nomeados 114 profissionais para a Secretaria de Saúde

A alta rejeição de Caiado na região, conforme levantamentos qualitativos realizadas no mês passado, fazem os prefeitos caiadistas da região a não se moverem pela reeleição do governador goiano.

Nenhum deles quer sair as ruas para pedir votos por não terem o que dizer.

Os chamados prefeitos eleitos e reeleitos, no pleito municipal de 2020, preferem não arriscar a própria pele ao confrontar o eleitorado do Entorno, cada vez mais revoltado com os políticos.

Além do mais, a prefeitada do Entorno enxerga que as eleições municipais de 2024 estão bem ali.

Read Previous

Dia do Trabalhador, 1º de maio tem manifestações em todo país

Read Next

Sabrina Sato usa look feito com “lixo” no Baile da Vogue