• 14/06/2024

PCDF realiza confecção de carteiras de identidade em domicílio

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), por meio do Instituto de Identificação (II), leva serviços essenciais diretamente à comunidade com a confecção de carteiras de identidade em domicílio. Na semana passada, uma instituição no Lago Sul foi beneficiada por essa ação. Foram emitidos 20 documentos de identidade durante oito horas de atendimento, divididos em dois dias diferentes. Quatro papiloscopistas policiais participaram desse trabalho.

Para aqueles que necessitam desse serviço, a PCDF disponibiliza informações adicionais sobre como solicitar a confecção de carteiras de identidade em domicílio | Foto: Divulgação

Esta semana, a equipe do Instituto de Identificação se prepara para atender um instituto situado em Ceilândia. A demanda por ações domiciliares é especialmente necessária para o público dessas instituições, que inclui pessoas com déficit neurológico, acamadas ou cadeirantes, com diversas comorbidades. Essas condições dificultam o deslocamento até as unidades de referência e requerem um tempo de atendimento maior.

Leia também   GDF investe R$ 151 milhões para construir 33 creches e abrir 5,3 mil vagas

“O atendimento em casa ou hospital é oferecido a todos os cidadãos que, por motivo justificável, não possam se deslocar a uma das unidades da PCDF”, explica o chefe da Seção de Operações Papiloscópicas Externas (Sope/II), Robson Braz.

Para aqueles que necessitam desse serviço, a PCDF disponibiliza informações adicionais sobre como solicitar a confecção de carteiras de identidade em domicílio. Esse atendimento é sujeito à capacidade operacional da seção.

A iniciativa reforça o compromisso da PCDF em garantir que todos os cidadãos tenham acesso aos serviços essenciais de identificação, promovendo inclusão e acessibilidade.

Leia também   Milhares de pessoas assistem Via de Sacra em Planaltina

Read Previous

Senac Nacional se junta à CVC em programa de empregabilidade em turismo

Read Next

SindSaúde luta pela Lei 6.903/2021 no STF