• 24/07/2024

Dinheiro em espécie deixa de ser opção de pagamento em 52 linhas de ônibus

A partir desta segunda-feira (1º), 52 linhas de ônibus do sistema de transporte público coletivo do Distrito Federal vão deixar de receber pagamento em dinheiro. Esse número corresponde a cerca de 5,65% do total de linhas, que atualmente são 919. São 10 da Piracicabana, 15 da Pioneira, 7 da Urbi, 10 da Marechal e 10 da BsBus.

Passageiros de 52 linhas somente conseguirão pagar suas passagens por meio eletrônico, com o uso de cartões; também será possível fazer o pagamento por aproximação | Foto: Geovana Albuquerque/ Agência Brasília

“A tarifa em dinheiro será extinta aos poucos, começando por essas linhas em que o pagamento em espécie já é usualmente pouco utilizado. A previsão é que, até final do ano, o dinheiro não esteja mais em circulação nas demais linhas”, explica o secretário de Transporte e Mobilidade, Zeno Gonçalves.

Os passageiros que utilizam essas linhas somente conseguirão pagar suas passagens por meio eletrônico – com o uso de cartões de transporte e bancários. Também será possível fazer o pagamento por aproximação por meio de smartphones, smartwatches ou pulseiras inteligentes.

Leia também   Carnaval 2019: saiba quais blocos de rua vão agitar Brasília na folia

Para recarregar, bem como solicitar um cartão de bilhetagem, os usuários dispõem de 128 postos de atendimento que aceitam o pagamento em dinheiro em espécie, cartões de crédito e débito. Quem utiliza o aplicativo BRB Mobilidade também pode adquirir créditos de transporte com o pagamento via Pix no próprio app.

Mais segurança e economia

A medida visa modernizar o sistema de transporte, além de garantir mais segurança e transparência tanto aos usuários quanto aos prestadores de serviços. Em 2023, o pagamento da passagem com dinheiro em espécie representava um montante de R$ 278,5 milhões, o equivalente a 31% do total de acessos.

Leia também   Odontologia ajuda na recuperação de pacientes de UTIs com Covid-19

Além de ser um atrativo para criminosos, a circulação de dinheiro nos ônibus significa prejuízo para os passageiros, já que a viagem paga em dinheiro não permite fazer a integração. Por meio dos cartões Mobilidade ou Vale-Transporte, o usuário pode realizar até três embarques no mesmo sentido (ida ou volta), no prazo de até três horas. Em vez de pagar três passagens, os deslocamentos podem ser realizados com a tarifa máxima de R$5,50.

Confira neste link as linhas que deixarão de aceitar dinheiro em espécie.

Leia também   Aulas recomeçam com 100% das escolas revitalizadas em cinco RAs

(Agência Brasília)

Read Previous

Cotonete pode perfurar o tímpano? 10 cuidados ao higienizar os ouvidos

Read Next

Senac-DF resgata projeto original de Oscar Niemeyer com a abertura de café-escola na Casa de Chá