• 4 de março de 2024

Defesa de Bolsonaro diz que apreensão de passaporte foi “desnecessária” e nega plano de golpe

A defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro divulgou uma nota na noite de quinta-feira, 8, em que afirmou que Bolsonaro não compactuou com um suposto plano de golpe. O documento foi assinado pelos advogados Paulo Amador Cunha Bueno, Daniel Bettamio Tesser e Fábio Wajngarten.

Veja também

Tire as principais dúvidas sobre a vacinação contra dengue

“O ex-presidente jamais compactuou com qualquer movimento que visasse a desconstrução do Estado Democrático de Direito ou as instituições que o pavimentam”, afirmou um dos trechos do comunicado.

No comunicado, os advogados afirmam que a apreensão do passaporte do ex-presidente foi uma medida “absolutamente desnecessária” e que a operação da PF causa indignação e inconformismo.

Leia também   Após veto cair, Bolsonaro promulga lei que proíbe despejos

“A medida se mostra absolutamente desnecessária e afastada dos requisitos legais e fáticos que visam garantir a ordem pública e o regular andamento da investigação, os quais sempre foram respeitados”, disse a nota.

Na manhã de quinta-feira, a Polícia Federal deflagrou a a Operação Tempus Veritatis   “hora da verdade”, em latim –, para apurar, segundo a PF, uma suposta organização criminosa que atuou na tentativa de golpe de Estado. Os alvos foram o ex-presidente Jair Bolsonaro e alguns de seus principais aliados políticos.

Os policiais federais cumpriram ordens expedidas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. O Exército Brasileiro acompanhou o cumprimento de alguns mandados, em apoio à Polícia Federal. Como mostrou a EXAME, Bolsonaro entregou o seu passaporte e não poderá manter contato com os outros investigados.

Leia também   Pazuello planeja vacinação dia 19 em evento no Planalto

Investigações da PF apontam que Bolsonaro recebeu e pediu alterações em uma minuta de decreto de golpe, teve reunião com ministros de “dinâmica golpista” e tinha uma organização e viabilização do rompimento institucional.

Leia o comunicado da defesa de Bolsonaro na íntegra abaixo:

“A defesa do ex-Presidente Jair Bolsonaro, diante das medidas cautelares deflagradas nesta data, e que contemplaram, inclusive, a custódia preventiva de apoiadores próximos, vem manifestar sua indignação e inconformismo. O ex-presidente jamais compactuou com qualquer movimento que visasse a desconstrução do Estado Democrático de Direito ou as instituições que o pavimentam. A despeito disso, desde março vem sendo alvo de repetidos procedimentos, que insistem em uma narrativa divorciada de quaisquer elementos que amparassem as graves suspeitas que repetidamente lhe vem sendo impingidas. A despeito de sua absoluta voluntariedade e disponibilidade em comparecer a todos as convocações feitas por determinação do Supremo Tribunal Federal, foi-lhe determinada a apresentação de seu passaporte, impedindo-lhe, portanto, de realizar quaisquer viagens internacionais. A medida se mostra absolutamente desnecessária e afastada dos requisitos legais e fáticos que visam garantir a ordem pública e o regular andamento da investigação, os quais sempre foram respeitados.”

(Portal Exame)

Leia também   Bolsonaro enfrenta a mais dura reação a seu governo

Read Previous

Estudo mostra que crianças entediadas comem até 79% mais

Read Next

BRB apoia expedição que vai percorrer capitais brasileiras divulgando o DF