• 20 de maio de 2022

Papa diz a jornal que pediu reunião com Putin sobre Ucrânia

Por Reuters

O papa Francisco disse hoje (3), em entrevista publicada no jornal italiano Corriere Della Sera, que solicitou uma reunião em Moscou com o presidente russo, Vladimir Putin, para tentar interromper a guerra na Ucrânia, mas não recebeu resposta.

Veja também

Papa pede auditorias anuais em igrejas para proteger crianças de abuso

O papa também afirmou que o patriarca Kirill, da Igreja Ortodoxa Russa, que deu apoio total à guerra, “não pode se tornar coroinha de Putin”.

Francisco, que fez uma visita sem precedentes à embaixada russa quando a guerra começou, disse ao jornal que, cerca de três semanas após o início do conflito, pediu ao principal diplomata do Vaticano que enviasse uma mensagem a Putin.

Leia também   OMS alerta países sobre Ômicron: 'preparem-se para aumento de casos'

A mensagem era “que eu estava disposto a ir a Moscou. Certamente, era necessário que o líder do Kremlin permitisse uma abertura. Ainda não recebemos uma resposta e continuamos insistindo”.

“Temo que Putin não possa e não queira ter essa reunião neste momento. Mas como você pode não parar com tanta brutalidade?”

Antes da entrevista, Francisco, de 85 anos, não havia mencionado especificamente a Rússia ou Putin publicamente desde o início do conflito, em 24 de fevereiro. Mas ele tem deixado poucas dúvidas sobre sua posição, usando termos como agressão e invasão injustificadas e lamentando as atrocidades contra civis.

Leia também   Mais de 70% de população da China já está imunizada contra covid

Questionado sobre uma viagem à capital ucraniana Kiev, que Francisco disse no mês passado ser uma possibilidade, o papa disse que não iria por enquanto.

“Primeiro, tenho que ir a Moscou, primeiro tenho que encontrar Putin. Faço o que posso. Se Putin ao menos abrir uma porta”, acrescentou.

Read Previous

Postos terão duas formas de mostrar preços de combustíveis

Read Next

Novo aplicativo de celular identifica traços de TDAH e Alzheimer