• 21/06/2024

‘Dinheiro esquecido’: uma única pessoa saca R$ 2,8 milhões

Uma única pessoa sacou o montante de R$ 2,8 milhões em recursos “esquecido” nos bancos pelo Sistema de Valores a Receber (SVR). Os dados foram informados nesta segunda-feira, 28, pelo Banco Central (BC).

Veja também

Importação de produtos de até US$ 50 subiu 11% neste ano

Segundo informou o chefe de Departamento de Atendimento Institucional do BC, Carlos Eduardo Rodrigues da Cunha Gomes, esse é o maior valor que uma pessoa física resgatou no SVR.

“Lembrando que temos de alinhar as expectativas e que 88% dos valores (a receber) que estão na base são abaixo de R$ 100”, disse Gomes, na live semanal do BC, que tirou dúvidas sobre o SVR.

Os brasileiros ainda podem sacar R$ 7,178 bilhões em recursos “esquecidos” nos bancos. Já foram recuperados pela população R$ 4,432 bilhões, o que beneficiou 14,475 milhões de pessoas físicas e 571,808 mil empresas.

Como resgatar seu ‘dinheiro esquecido’ no banco

1. Saber se há dinheiro a receber

Para fazer a consulta inicial, acesse a página do Banco Central para o SVR. Neste link, a consulta pública está disponível tanto para CPF quanto para CNPJ. É preciso informar a data de nascimento no caso de CPF e a data de abertura da empresa no caso de CNPJ.

Leia também   Banco BRB e MAPFRE iniciam distribuição exclusiva de seguro residencial

2.  Conectar no Sistema de Valores a Receber (SVR)

Se você tiver algum dinheiro para receber, você será direcionado ao Sistema de Valores a Receber (SVR), serviço do Banco Central que possibilita o resgate do dinheiro perdido. Para acessar o sistema, é preciso utilizar o login da conta gov.br – que deve estar no nível prata ou ouro.

Caso você não possua uma conta gov.br, a criação é gratuita e pode ser feita por meio do site do Governo Federal ou pelo aplicativo gov.br – disponível para os sistemas iOS e Android.

Já no SVR é possível visualizar os valores disponíveis para receber, assim como consultar se há valores de titularidade de uma pessoa falecida que também foram esquecidos.

Leia também   Alexandre de Moraes revoga afastamento e Ibaneis Rocha pode reassumir imediatamente o cargo de governador do DF

3. Acessar ‘Meus valores a receber’

Neste campo é possível conferir quais são os valores disponíveis para resgate e a quais instituições eles dizem respeito.

4. Solicitar valor

Ao lado das informações referentes ao montante disponível para ser resgatado, há o botão ‘Solicitar por aqui’. Ao clicar nele, será aberta uma página para que o responsável preencha sua chave PIX, e-mail e telefone.

Depois de preencher todos os campos, clique em ‘Cadastrar’. Na sequência, confira se os dados estão corretos e envie a solicitação para resgate do valor.

Não apareceu? O botão ‘Solicitar por aqui’ só aparece caso a instituição financeira tenha firmado um termo de adesão com o Banco Central referente ao Sistema de Valores a Receber (SVR). Se não aparecer o botão, é preciso entrar em contato direto com a instituição para combinar a forma de devolução. Nesses casos, não há obrigatoriedade de devolução do dinheiro em até 12 dias úteis.

Leia também   Bancos fazem mutirão de negociação de dívidas a partir desta sexta

5. Acompanhar a solicitação

Após confirmar o pedido do resgate, o sistema direcionará a pessoa a uma tela com o protocolo da solicitação – que deve ser anotado. Segundo o Banco Central, a devolução do valor é de responsabilidade da instituição e deve ser feita em até 12 dias úteis.

Nessa etapa, o Sistema de Valores a Receber (SVR) também deixa alguns recados:

Lembre-se de que o valor informado pode ser diferente do efetivamente recebido em razão de alguma atualização monetária ou de descontos previstos em lei, em norma do Sistema Financeiro Nacional ou em contrato.

Caso tenha informado dados de contato, a instituição pode entrar em contato com você para confirmar sua identidade e esclarecer dúvidas.

Não forneça senhas nem faça pagamentos para receber o valor.

(Portal Terra)

 

Read Previous

Especialistas debatem a importância dos insumos estratégicos para o desenvolvimento de pesquisas no Brasil

Read Next

Desemprego no DF cai entre junho e julho