• 14/06/2024

Investimento de R$ 41 milhões no Cartão Gás amparou 77 mil famílias em 2023

O Cartão Gás, um dos braços da rede de proteção social do Governo do Distrito Federal (GDF), encerrou o ano de 2023 com um impacto positivo na vida de 77,2 mil famílias, representando um investimento de aproximadamente R$ 41,3 milhões.

Veja também

Festas da virada marcam a agenda cultural do último fim de semana do ano

O benefício, que completou dois anos de existência recentemente, faz parte das iniciativas do Executivo para garantir a segurança alimentar de pessoas em situação de vulnerabilidade. “O programa garante às famílias autonomia e segurança nutricional”, enfatiza a secretária de Desenvolvimento Social, Ana Paula Marra.

Leia também   Detran-DF promove ações educativas nesta semana

Atualmente, a maioria dos beneficiários, em torno de 90% do total, é composta por mulheres, conforme dados da Secretaria de Desenvolvimento Social do Distrito Federal (Sedes-DF) | Foto: Joel Rodrigues/Agência Brasília

“Com o Cartão Gás, o beneficiário tem a oportunidade de cozinhar em casa, do jeito que os filhos gostam, de ter uma comida caseira e saudável. Com a crise econômica dos últimos anos e a inflação, muitas famílias perderam poder de compra e precisam desses dois benefícios para continuar tendo comida em casa”, prossegue a titular da pasta.

Criado em 2021, o Cartão Gás foi implementado pelo GDF como uma das medidas emergenciais de enfrentamento à pandemia da covid-19. Inicialmente, a previsão era de que o benefício durasse apenas 18 meses, mas o Executivo transformou a iniciativa em lei, garantindo a segurança alimentar de milhares de famílias.

Atualmente, a maioria dos beneficiários, em torno de 90% do total, é composta por mulheres, conforme dados da Secretaria de Desenvolvimento Social do Distrito Federal (Sedes-DF). É o caso de Abadia Aparecida da Rocha, 45 anos, que recebe o benefício desde a sua criação. “Esse programa é uma glória de Deus, nos ajuda bastante”, narra.

Moradora de Três Veredas, em Brazlândia, ela afirma que, antes da criação do benefício, se arriscava a cozinhar com métodos alternativos. “Eu cozinhei muito no fogão à lenha por não ter condição de comprar o gás. Quando a gente podia, tirava o dinheiro das compras do mês para poder comprar o botijão, que faz muita diferença para a gente e não posso ficar sem”.

Maior rede do país

Em 2022, ao avaliar o conjunto de programas implantados pelas secretarias de Desenvolvimento Social (Sedes), de Educação (SEE), de Saúde (SES) e de Esporte e Lazer (SEL), o Ministério da Cidadania classificou o DF como a unidade da federação com a maior rede de proteção social do Brasil.

Uma das frentes de atuação do GDF na garantia da segurança alimentar de quem mais precisa é, justamente, o Cartão Gás. O benefício, de R$ 100, é pago em parcelas bimestrais para aquisição de botijão de 13 kg de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP). Os valores devem ser pagos exclusivamente às revendedoras cadastradas junto ao programa do GDF e só contemplam a aquisição de vasilhames para uso doméstico.

Para acesso ao benefício, é preciso cumprir com os seguintes requisitos:

→ Estar inscrito no Cadastro Único;
→ Renda familiar per capita de até meio salário mínimo;
→ Declarar comprometimento de renda com a aquisição do GLP de 13 kg;
→ Ter idade igual ou superior a 16 anos.

A porta de entrada da assistência social no GDF é o Centro de Referência e Assistência Social (Cras). No DF, há 30 unidades distribuídas pelas regiões administrativas, além de equipes móveis que vão até as áreas rurais de mais difícil acesso, para que as pessoas tenham esse alcance. Também é possível agendar o atendimento pelo telefone 156 ou pelo site da Sedes.

(Agência Brasília)

Read Previous

Putin promete ‘intensificar’ bombardeios russos na Ucrânia após ataque em Belgorod

Read Next

Como melhorar sua vida em 2024 segundo a ciência