• 20 de maio de 2022

Atividade física e a durabilidade da toxina botulínica

Hoje em dia, muitas pessoas que praticam exercícios físicos unem essa prática com a realização de procedimentos estéticos e a junção dessas duas ações, com certeza fazem muita diferença no dia a dia de uma pessoa. Mas você sabia que essa prática também pode diminuir a durabilidade do efeito da toxina botulínica?

Veja também

Acne em diferentes fases da vida: entenda

Se você é adepto a atividade física, com certeza já se deparou com diversas pessoas fazendo caretas enquanto treinam. Isso ocorre pois quanto mais intensa é a ação realizada, maior será a tensão do rosto, fazendo com que haja diversas contrações na musculatura dessa região.

Segundo Flávia Villela, médica especialista em dermatologia e medicina estética, essas contrações podem acabar afetando a durabilidade da toxina botulínica, aplicada em determinadas regiões no rosto.

“Quem faz a aplicação dessa toxina, geralmente busca diminuir rugas e linhas de expressão, então a durabilidade dela pode ser alterada devido a intensidade do treino de uma pessoa, já que ela pode esboçar muitas ‘caras feias’ por um determinado período”, explica a médica.

Leia também   Saiba como se exercitar em casa durante a quarentena

É comum que a substância seja aplicada entre as sobrancelhas, na testa e ao redor dos olhos, atuando diretamente no músculo para descontração do local, através da paralisação. “Quando injetamos a toxina, o músculo paralisa e evita rugas. Uma carga muito pesada durante o treino, estimula a movimentação do ,rosto e consequentemente, estica a pele dessa área”, diz Flávia Villela.

É POSSÍVEL EVITAR QUE O EXERCÍCIO DIMINUA O EFEITO DA TOXINA?

Com certeza essa é uma pergunta que muitas pessoas fazem após descobrir que a atividade física interfere no tempo do resultado da toxina botulínica, mas será que é possível evitar essa degradação do produto?

Segundo Flávia Villela, se você é uma pessoa que prática exercícios regularmente, infelizmente não é possível evitar que a toxina dure menos, mas isso não deve ser considerado um problema e muito menos motivo para não se exercitar.

Leia também   Mito ou verdade: estresse deixa os cabelos brancos?

“A toxina vai durar menos em quem prática exercício físico de forma constante, isso é fato! Além de estimular as contrações dos músculos da face, quem faz atividade física, geralmente possui um metabolismo mais acelerado, outro fator que pode prejudicar a durabilidade do procedimento, mas isso não significa que uma pessoa não deva treinar ou correr”, reforça a médica.

NÃO É APENAS O EXERCÍCIO QUE PREJUDICA A DURABILIDADE

Se você ficou preocupado com a durabilidade da aplicação da toxina com a prática de exercícios físicos, fique calmo. Medicamentos que atuam na parte neuro motora do corpo também podem diminuir a eficiência do produto.

“Geralmente antibióticos e relaxantes musculares também alteram a durabilidade do procedimento. A verdade é que a aplicação da toxina não é eterna e ações do nosso dia a dia podem acabar influenciando”, diz Flávia Villela.

Leia também   5 receitas fitness para incluir na dieta e secar mais rápido

É importante que uma pessoa que faz uso da toxina saiba que o resultado é imediato, mas não eterno. A aplicação da substância deve ser feita em um intervalo de quatro a seis meses, dependendo da recomendação do médico especialista.

“Quando falamos sobre a diminuição da durabilidade em quem pratica algum exercício, muitas pessoas se assustam e pensam em desistir [de ambas as ações], mas eu gosto de deixar claro que as atividades físicas fazem muito bem para a saúde e são aliadas da estética. Como eu disse, de qualquer forma o procedimento não é eterno, é muito necessário, mas temporário. Não devemos parar com nossos treinos ou com as nossas aplicações por causa disso”, finaliza Flávia Villela, médica especialista em dermatologia e medicina estética.

Read Previous

Receita paga hoje lote residual de restituição do IRPF

Read Next

Dia D reforça campanha de vacinação contra a influenza amanhã (30)