• 21/06/2024

Lula reúne-se com Alckmin e ministros para discutir conflito em Israel e na Palestina

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se reuniu na manhã deste sábado, 14, com o vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB), ministros de Estado e assessores próximos para discutir o conflito em Israel e na Palestina.

Veja também

Lula conversa com presidente de Israel e pede corredor humanitário

A reunião foi feita por videoconferência, já que o presidente ainda se recupera de uma cirurgia no quadril e nas pálpebras. Participaram do encontro os ministros Rui Costa (Casa Civil), Alexandre Padilha (Relações Institucionais), Márcio Macêdo (Secretaria Geral), José Múcio (Defesa) e Paulo Pimenta (Secom), além do líder do governo no Senado, Jaques Wagner, do assessor especial Celso Amorim e do chefe de gabinete da Presidência, Marco Aurélio.

Leia também   Presidente participa de celebração dos 200 anos da Independência no RJ

Pauta da reunião

Segundo a Secom, além do papel do Brasil nas discussões sobre o conflito em Israel e na Palestina, também foram discutidas “questões de governo” na reunião de Lula com seus auxiliares.

O governo tem enviado aeronaves para repatriar brasileiros que se encontram tanto em Israel quanto na Faixa de Gaza. Além disso o Palácio do Planalto também vem se esforçando para viabilizar um corredor humanitário que permita a saída de civis da zona de conflito e transporte de comida e medicamentos para os locais.

O tema chegou a ser discutido pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas na sexta-feira, 13, mas não houve acordo entre os países. Responsável por presidir o encontro, o ministro das Relações Exteriores brasileiro, Mauro Vieira, disse que o conselho “tem uma responsabilidade crucial, tanto na resposta imediata aos acontecimentos da crise humanitária do momento, assim como nos estágios futuros, ao intensificar as relações multilaterais necessárias para restaurar um processo de paz”.

Leia também   Câmara e Senado elegem suas presidências nesta quarta-feira

“O objetivo imediato é claro e urgente: prevenir mais derramamento de sangue e perda de vidas e tentar garantir acesso humanitário urgente para as áreas mais atingidas”, afirmou.

(Estadão Conteúdo)

Read Previous

Pix Automático chega em 2024: entenda o que é e como funciona

Read Next

Futebol: pré-olímpico será na Venezuela em janeiro e fevereiro de 2024