• 3 de agosto de 2021

Premiê interino do Haiti diz que vai deixar cargo

Claude Joseph, que nominalmente tem liderado o Haiti como primeiro-ministro interino desde o assassinato do presidente Jovenel Moise, disse em uma entrevista ao Washington Post publicada nesta segunda-feira que concordou em renunciar, entregando o poder a um pretendente apoiado pela comunidade internacional.

Veja também

Países europeus multiplicam medidas para conter surto de covid-19

O anúncio parece encerrar uma luta pelo poder entre Joseph e Ariel Henry, o neurocirurgião de 71 anos que foi nomeado primeiro-ministro por Moise dois dias antes do assassinato, mas que ainda não prestou juramento.

Leia também   Suspeitos do assassinato do presidente do Haiti são mortos a tiros

Moise foi morto a tiros quando assassinos armados com rifles de assalto invadiram sua residência particular em Porto Príncipe no dia 7 de julho. O assassinato despertou caos à nação já turbulenta, acontecendo em meio a uma onda de violência de gangues que deslocou milhares de pessoas e prejudicou a atividade econômica no país mais pobre das Américas.

Joseph disse ao Washington Post que ele e Henry se reuniram em particular na semana passada, acrescentando que ele concordou em renunciar no domingo “para o bem da nação”.

“Todo mundo que me conhece sabe que não estou interessado nesta batalha, ou em qualquer tipo de tomada de poder”, disse Joseph.

Leia também   Escassez de doses e desigualdade marcam vacinação na África

“O presidente era um amigo para mim. Só estou interessado em ver justiça para ele”, acrescentou Joseph.

Read Previous

Enem 2021: termina hoje prazo para pagamento da taxa de inscrição

Read Next

Brasil pode ter presidente mulher ou LGBT? Partidos se articulam