• 4 de março de 2024

Acordo em Gaza é retomado após disputa sobre ajuda humanitária

O acordo para a libertação de reféns em Gaza voltou aos trilhos na noite deste sábado (25), depois que uma disputa sobre o fornecimento de ajuda humanitária ao norte do enclave foi resolvida com mediação do Catar e do Egito.

Veja também

Presidente Lula sanciona lei para reduzir filas do INSS

Uma autoridade palestina familiarizada com a diplomacia disse que o Hamas continuará com a trégua de quatro dias acordada com Israel, a primeira pausa nos combates em sete semanas de guerra.

“Depois de um atraso, os obstáculos à libertação de prisioneiros foram superados através de contatos entre o Catar e o Egito com ambos os lados, e 39 civis palestinos serão libertados esta noite, enquanto 13 reféns israelenses deixarão Gaza, além de sete estrangeiros”, disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Catar, Majed Al Ansari, em rede social.

Leia também   Papa celebra missa do Domingo de Ramos

Oito crianças e cinco mulheres serão libertadas pelo Hamas, assim como os sete estrangeiros, disse ele.

O braço armado do Hamas havia dito mais cedo que estava adiando a segunda rodada de libertação de reféns, prevista para este sábado, até que Israel cumprisse todas as condições de trégua, incluindo o compromisso de deixar caminhões de ajuda entrarem no norte de Gaza.

Porta-voz do Hamas, Osama Hamdan disse que apenas 65 dos 340 caminhões de ajuda que entraram em Gaza desde sexta-feira chegaram ao norte do enclave, o que foi “menos da metade do que Israel acordou”.

Leia também   Estados Unidos autoriza vacinas da Pfizer e da Moderna para bebês a partir de 6 meses

As Brigadas Al-Qassam, braço armado do Hamas, também disseram que Israel não respeitou os termos da libertação dos prisioneiros palestinos. Qadura Fares, o comissário palestino para prisioneiros, disse que Israel não libertou os detidos por idade, como era esperado.

O ministro da Agricultura, Avi Dichter, membro do gabinete de segurança de Israel, disse ao Channel 13 News que Israel estava “cumprindo o acordo” com o Hamas que fora mediado pelo Catar.

Israel afirmou que 50 caminhões com alimentos, água, equipamentos de abrigo e suprimentos médicos foram enviados para o norte de Gaza sob supervisão da ONU, na primeira entrega significativa de ajuda desde o início da guerra.

Leia também   Avião que trará brasileiros de Gaza decola para o Egito

A disputa sobre a trégua prejudicou as esperanças de um segundo dia tranquilo de libertação de reféns e prisioneiros, depois que 13 mulheres e crianças israelenses foram libertadas pelo Hamas na sexta-feira, e cerca de 39 mulheres e adolescentes palestinos foram libertados das prisões israelenses.

Colaboraram James Mackenzie, Maayan Lubell, Emma Farge, Aidan Lewis e Adam Makary e Sybille de La Hamaide

(Reuters)

Read Previous

Mega-Sena deve pagar neste sábado prêmio de R$ 26 milhões

Read Next

Saiba o que chega na Netflix em dezembro