• 24 de outubro de 2021

BBB 2021 | Rodolffo é eliminado após aula de Tiago Leifert sobre racismo

Rodolffo deixou o BBB 2021 nesta terça-feira (7). Com 50,48% dos votos, o sertanejo saiu da casa mais vigiada do Brasil em meio à polêmica acerca de seu comentário sobre o cabelo de João Luiz. O episódio rendeu, inclusive, uma conversa franca de Tiago Leifert com os brothers a respeito de racismo.

O discurso de eliminação incluiu falas do apresentador sobre erros, intencionais ou não, e respostas do público. Tiago comentou a ligação que os brothers fazem com o Paredão, interpretando a permanência no reality como aprovação. Rodolffo chegou a afirmar, mais de uma vez, que estava em alta perante o telespectador por ter escapado de berlindas anteriores.

Cabe lembrar que, antes de comparar o cabelo de João à peruca usada durante o castigo do Monstro, Rodolffo debochou da roupa de Fiuk. Tal comentário, de cunho homofóbico, rendeu a indicação dele pelo então líder Gilberto à disputa pela preferência do público. Revoltado, o agora ex-brother deu o troco na semana seguinte, colocando a então aliada Sarah no Paredão.

Leia também   BBB 2021 | Jogo da Discórdia pega fogo com desabafo de João Luiz e treta de Arthur e Fiuk

Hoje, após encerrar a votação e antes de anunciar o resultado, Leifert citou o ocorrido entre João Luiz e Rodolffo. “Hoje eu vou desligar o modo apresentador um pouco. Dar uma pausa no jogo e falar como fã de vocês”, avisou. “Eu queria falar com meu amigo Rodolffo. […] Vendo o que aconteceu ontem no jogo e vendo a forma como você se defendeu na hora, me preocupou e é por isso que eu tô aqui pra conversar com você de homem branco pra homem branco”, prosseguiu.

Meu cabelo também não é liso. As outras crianças lixavam o dedo brincando que era cabelo de lixa, escondiam lápis no meu cabelo e tal, mas isso nunca fez a menor diferença pra mim. […] Eu não tô nem aí pro meu penteado, se meu cabelo tá caindo. […] Um cabelo black power que é o cabelo do João não é um penteado, é mais que um penteado, é um símbolo de luta, de resistência. Foi o que os pretos americanos usaram como símbolo antirracista”, destacou o apresentador.

Leia também   Anitta festeja despedida de Leo Dias: “Ufa! Terei paz”

Eles vestiram o black power pra mostrar pras pessoas que eles se aceitavam, que eles se amavam. Porque até pouquíssimo tempo atrás, uma pessoa como o João, como a Cami, lá nos Estados Unidos, tô falando do país mais livre do mundo, tinha que levantar do banco pra um branco sentar”, lamentou Tiago Leifert, complementando:

É por isso que quando a gente faz um comentário sobre o cabelo do João, a gente não tá falando de penteado que é o que você achou que você tava fazendo. […] Você tá falando de um símbolo. Você tá falando do que o João é, do que o João sente, do que o João viveu na pele dele, da história do João, da ancestralidade do João. Tem muito ali”.

Tiago pontuou que não via maldade no comentário de Rodolffo, mas que, ao mesmo tempo, legitimava a dor de João Luiz. “Porque tem milhares de meninos e meninas pretos e pretas que sentem a dor que o João sentiu. E a dor que o João sentiu não discerne entre um comentário ingênuo e um comentário maldoso. […] O sem querer e o de propósito doem do mesmo jeito”, concluiu.

Leia também   Bruno Covas tem quadro considerado irreversível, diz boletim médico

(RD1)

Read Previous

Fiocruz triplica produção e prevê entrega de 18,4 mi de doses até maio

Read Next

Covid-19: um terço dos sobreviventes tem distúrbios, mostra estudo