• 8 de agosto de 2022

Brasil não pretende subsidiar preço de combustíveis, diz ministro

Por Bloomberg

O Brasil não pretende subsidiar os preços dos combustíveis, mesmo com os reajustes recentes, que tem pressionado a inflação e gerado reação popular.

Veja também

Aumento da Selic pode travar novas aberturas de capital na Bolsa em 2022

Uma saída seria reduzir impostos e criar programas de compensação para amenizar o impacto do aumento dos preços da gasolina e do diesel, disse o Ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, em entrevista.

“Temos que administrar isso usando impostos. Não podemos reduzir o preço das commodities. É impossível ”, disse ele. “Não queremos subsidiar os combustíveis fósseis.”

Leia também   Delmasso faz alerta para prejuízo financeiro causado pelas instituições ao DF

O aumento dos preços do petróleo é muitas vezes recebido com sentimentos mistos para as empresas nacionais de petróleo como a Petrobras, já que ficam pressionadas para manter os custos do combustível sob controle para os consumidores a fim de evitar protestos e conter a inflação.

A estatal perdeu cerca de US$ 40 bilhões durante o boom do preço do petróleo de 2012 a 2014 por causa das políticas para baratear a gasolina e o diesel, e os investidores estão preocupados que isso possa acontecer novamente. A desvalorização da moeda brasileira neste ano tornou o combustível ainda mais caro na bomba.

Leia também   Nação BRB FLA atinge a marca de 1 milhão de clientes

Albuquerque também disse que o Brasil está avançando no controle ao desmatamento ilegal e planeja eliminar a prática até 2028.

Read Previous

Câmara aprova em primeiro turno texto-base da PEC dos Precatórios

Read Next

Inep libera cartão de confirmação do Enem 2021