• 29 de novembro de 2020

O incrível reencontro de pai e filho após a Covid-19

Um encontro improvável e cheio de emoção marcou a vida de um pai e seu filho que se reencontraram na enfermaria do Hospital Regional de Samambaia (HRSam). Improvável, porque receberam alta no mesmo dia das UTIs em que estavam internados, em unidades diferentes; emocionante pelo fato de terem ficado separados por 25 dias enquanto recebiam cuidados intensivos na rede pública de saúde.

O patriarca da família Martins, Jason Martins Fernandes, de 80 anos, ainda sem manifestar a Covid-19, teve contato com a esposa e os filhos. Dias depois, em 4 de julho, a doença evoluiu para a forma grave e ele precisou buscar atendimento no Hospital Regional de Planaltina. O diagnóstico veio com um “superbaque”, conforme diz o filho Anderson Martins Fernandes, de 33 anos. “Nunca se sabe se vai acontecer. A gente fica aflito, angustiado”, afirma.

Jason é morador de Planaltina de Goiás e recebeu assistência no DF. No mesmo dia em que deu entrada no HRPl, o quadro clínico agravou-se e ele foi regulado e transferido para a UTI do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM).

Leia também   Distrito Federal poderá receber eventos esportivos

Sem sintomas graves nos dias que antecederam a internação, Jason, que é pai de nove filhos e vive com a esposa, acabou transmitindo a doença para a companheira e para os filhos Anderson e André Luís Martins Fernandes, de 46 anos. Felizmente, dois a mulher e Anderson não necessitaram de internação e se recuperaram em casa.

André, porém, também adquiriu a forma grave da Covid-19 e, no dia 7 de julho, precisou ser internado. Ele, que tem asma, foi internado inicialmente no Hospital Regional de Sobradinho e, de lá, encaminhado para a UTI do HRSam. A esposa de André também contraiu o vírus da Covid-19. Jason Martins permaneceu na UTI durante 25 dias. Já André Martins ficou sob cuidados intensivos por 22 dias.

Leia também   Crimes contra a vida têm redução de 25,7% nos primeiros 50 dias de governo

O reencontro
Pai e filho lutaram contra a doença e já estão curados. André foi transferido da UTI para a enfermaria do Hospital Regional de Samambaia na manhã da última quarta-feira (29). Jason deixou a UTI do HRSM, no mesmo dia, porém foi regulado para uma vaga em uma enfermaria da rede. O leito surgiu, por coincidência, justamente no HRSam.

Assim que deu entrada no hospital de Samambaia, à tarde, a equipe de enfermagem, ao ver a semelhança dos sobrenomes, pesquisou o prontuário de André, que já estava na unidade. Foi por lá que descobriu que se tratava do pai dele.

“Quando soubemos que eram pai e filhos, ficamos sensibilizados. Não só pelo caso, mas coincidência de terem se reencontrado na enfermaria, pois estavam em unidades diferentes. Toda a equipe quis fazer parte da assistência e estamos muito felizes pela cura dos dois”, relata a gerente da gerência interna de regulação do HRSam, Kamila Xavier.

Leia também   Turma da Mônica é aliada no combate à violência contra a mulher

Jason e André estão internados na mesma enfermaria e recebendo alimentação por sonda nasoentérica. De acordo com a equipe de enfermagem, assim que chegou ao hospital Jason estava agitado e se acalmou ao saber que iria para perto do filho.

“Eu quero voltar para casa”, pede Jason – que, ao longo de seus 80 anos, até então, não havia sido hospitalizado uma única vez. “Venci o coronavírus e não volto mais em hospital!”, declara.

Anderson Martins, que não teve Covid-19, acredita que a curiosa internação de seu pai e irmão no mesmo quarto do hospital vai ajudá-los na recuperação.

É o que também acredita a equipe de enfermagem que dá a eles todos os cuidados necessários para que se recuperem dos dias em que permaneceram nas UTIs e que logo seja viável a volta para o lar.

(Agência Brasília)

 

Avatar

Destaque DF

Read Previous

Diário Oficial publica norma que permite teletrabalho no Executivo

Read Next

Governo de Goiás economiza R$ 40,1 milhões em despesas com implantação do teletrabalho