• 20/06/2024

Mais 461 médicos chegam para reforçar a rede de saúde do DF

A rede pública de saúde do Distrito Federal será reforçada com a chegada de 261 novos médicos em 15 especialidades. Os médicos serão distribuídos nas unidades da capital com a missão de fortalecer as equipes do Sistema Único de Saúde (SUS).

As nomeações foram assinadas nesta sexta-feira (5) pelo governador Ibaneis Rocha e publicadas em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal (DODF). Um total de 240 faz parte do cadastro de reserva do último edital para a carreira médica, referente ao concurso de 2022, e os outros 21 médicos convocados substituirão os candidatos que não apresentaram documentação em chamada anterior. Os profissionais se juntarão aos 200 médicos generalistas temporários empossados nesta semana.

Entre os especialistas contratados, serão 102 profissionais para ginecologia e obstetrícia, 73 para pediatria e 32 para anestesiologia | Foto: Jhonatan Cantarelle/Agência Saúde-DF

“Estamos contratando mais médicos para auxiliar a população do Distrito Federal. Nós já tivemos a colocação de mais 200 médicos nas unidades hospitalares. Eles já estão atendendo nos hospitais do DF e nas unidades de pronto-atendimento [UPA]. Esperamos, com isso, melhorar a situação da saúde no DF”, definiu o governador Ibaneis Rocha.

Leia também   “Executivo e Legislativo devem continuar juntos”

Para as contratações, o Governo do Distrito Federal (GDF), por meio do Decreto nº 45.635 de 25 de março de 2024, abriu crédito suplementar no valor de R$ 34.945.123 ao Fundo de Saúde do Distrito Federal. O recurso é proveniente do próprio Executivo.

“Nós desejamos que esses profissionais nomeados venham trabalhar conosco na Secretaria de Saúde. Temos feito toda uma reestruturação em busca do abastecimento e ambiência para que esses profissionais se sintam acolhidos. E o mais importante é que a nossa população precisa de todos esses profissionais”, defendeu a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio.

Entre os especialistas contratados, serão 102 profissionais para ginecologia e obstetrícia, 73 para pediatria, 32 para anestesiologia, entre outras. “Foram convocados médicos em especialidades onde temos um maior déficit e onde há uma demanda constante e crescente da população”, explicou Lucilene.

Leia também   CGDF identifica servidores envolvidos na manifestação antidemocrática

Os nomeados se juntam a outros 6.195 servidores da Secretaria de Saúde nomeados desde 2019. Nos chamamentos anteriores foram convocados 2.417 médicos, o equivalente a 40% do total do efetivo da pasta.

Veja abaixo todas as especialidades que serão reforçadas.

→ Ginecologia e obstetrícia: 102
→ Pediatria: 73
→ Anestesiologia: 32
→ Cirurgia pediátrica: 11
→ Neonatologia: 9
→ Pneumologia: 9
→ Hematologia e hemoterapia: 5
→ Infectologia: 4
→ Psiquiatria: 4
→ Paliativista: 3
→ Medicina de emergência: 3
→ Dermatologista: 2
→ Endocrinologia e metabologia: 2
→ Geriatria: 1
→ Medicina física e reabilitação: 1

Total: 261 (desses, 21 médicos referem-se a substituições de nomeações já realizadas no presente exercício tornadas sem efeito).

Acolhimento aos profissionais

O GDF também recepcionou, na última quarta-feira (3), outros 200 médicos generalistas convocados temporariamente para reforço das equipes da rede pública de saúde no enfrentamento à epidemia de dengue e nos casos de doenças respiratórias. Os profissionais já iniciaram os atendimentos dos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) nas unidades e equipamentos públicos para os quais foram direcionados pela Secretaria de Saúde (SES-DF).

Leia também   Brasília inaugura a maior árvore natalina do Brasil

“Os generalistas vêm ao encontro da necessidade de emergência em saúde pública. Estamos compondo as portas de emergência da nossa cidade. Fizemos uma distribuição justa”, completou a secretária de Saúde.

Os 200 médicos se juntam às mais de 900 nomeações de profissionais de saúde realizadas pelo governo desde o início do ano, entre enfermeiros, técnicos de enfermagem, agentes comunitários de saúde (ACSs) e agentes de vigilância ambiental (Avas).

Outras ações adotadas pelo GDF também devem trazer menos burocracia e mais agilidade para a contratação de serviços da Saúde e na aquisição de materiais, por meio do Programa de Descentralização Progressiva de Ações de Saúde (PDPAS).

(Agência Brasília)

Read Previous

Israel aprova reabertura de mais duas portas humanitárias em Gaza

Read Next

Brasileiros ainda não sacaram R$ 7,79 bi de valores a receber