• 27 de novembro de 2021

Variante Gama sofre mutações e ganha versão mais parecida com a Delta

A variante Gama do Sars-CoV-2, a mais comum no Brasil, já está sofrendo mutações que a deixam mais parecida com a Delta, a cepa que tem provocado novas ondas de contágio pelo mundo.

Veja também

Nubank permite parcelar compras no débito em até 12 vezes

A nova versão da Gama foi identificada pelo Genov, projeto científico da Dasa de vigilância por sequenciamento amostral do SARS-CoV-2 no Brasil, que já identificou seu avanço por diversos estados.

— Essa Gama identificada tem algumas mutações a mais do que a tradicional, algumas semelhantes a que a Delta tem. Por isso, poderíamos dizer que ela seria uma intermediária entre a Gama e a Delta.

Leia também   Conheça os navegadores web que melhoram sua privacidade online

Gama plus seria fruto da evolução convergente, como explica o geneticista Salmo Raskin, diretor do laboratório Genetika, em Curitiba. Isso significa que, se as mutações que formaram a Delta tornam o vírus mais bem adaptado, a tendência natural é que ele faça essa evolução.

Para Raskin, há maior risco de transmissibilidade porque a Gama Plus tem uma mutação específica, a P681H, que facilita a entrada do coronavírus na célula humana. A mesma mutação está presente na Delta. No entanto, ainda não há comprovação que Gama plus seja mais transmissível que a Gama tradicional.

Leia também   Fumante com coronavírus tem 14 vezes mais chances de morrer

Das 11 amostras de maio que registraram a mutação P681H, cinco são do estado de Goiás, duas do Tocantins, uma do Mato Grosso, uma do Ceará, uma de Santa Catarina e uma do Paraná. Em junho foram identificadas, ainda, três amostras da variante Delta no Paraná (Curitiba, Cascavel e Matinhos) e um caso no Rio de Janeiro.

— Essa mutação [a P681H] já havia sido vista em outras variantes no mundo, incluindo todas as variantes de preocupação, mas não era muito comum na Gama. No entanto, temos visto um aumento em sua ocorrência nas amostras brasileiras — explica o coordenador do Genov e virologista da Dasa, José Eduardo Levi.

Leia também   Como usar o Desrotulando para escolher alimentos mais saudáveis

(Agência O Globo)

Read Previous

Jovens de 14 e 15 anos de Goiás tem até domingo (15) para se inscreverem no programa Aprendiz do Futuro

Read Next

Seca faz 53 cidades do Sudeste, Sul e Centro-Oeste racionarem água