• 24 de outubro de 2021

Variante Delta apresenta risco 2 vezes maior de hospitalização, diz estudo

Pessoas infectadas com a variante Delta, altamente contagiosa, têm duas vezes mais chances de serem hospitalizadas do que aquelas infectadas com a variante Alfa, de acordo com um amplo novo estudo britânico.

O estudo, publicado na revista científica The Lancet na sexta-feira, 28, é uma análise de mais de 40 mil casos de coronavírus na Inglaterra. Isso adiciona evidências que sugerem que a Delta pode causar doenças mais graves do que outras variantes.

Menos de 2% das infecções ocorreram em pessoas totalmente vacinadas, e não havia dados suficientes para tirar conclusões firmes sobre os riscos de hospitalização especificamente naquele grupo, disseram os pesquisadores.

— A principal lição é que, se você tiver uma população não vacinada ou apenas parcialmente vacinada, um surto de Delta pode levar a uma carga maior para os hospitais e cuidados de saúde do que um surto de Alfa — disse Anne Presanis, estatística sênior da Universidade de Cambridge e uma das principais autores do estudo.

Leia também   Anvisa autoriza Pfizer a fazer estudo clínico de 3ª dose no Brasil

A variante Delta, que foi detectada pela primeira vez na Índia, é quase duas vezes mais infecciosa que o vírus original e até 60% mais transmissível do que a variante Alfa, que foi identificada pela primeira vez no Reino Unido.

No novo estudo, os pesquisadores analisaram os dados de saúde de pessoas com teste positivo para o vírus na Inglaterra de 29 de março a 23 de maio, à medida que a Delta se espalhava pelo país. Setenta e quatro por cento das pessoas não estavam vacinadas, 24,2% estavam parcialmente vacinadas e 1,8% estavam totalmente vacinadas.

Leia também   O dinheiro chegou ao Clubhouse: app libera transferência a outros usuários

O sequenciamento genético confirmou que 80% dos participantes do estudo foram infectados com a variante Alfa, enquanto 20% foram infectados com a Delta.

Para ambos os grupos, o risco de hospitalização foi pequeno, descobriram os pesquisadores. Apenas 2,2% das pessoas com Alfa e 2,3% das pessoas com Delta foram admitidas no hospital duas semanas após o teste ser positivo para o vírus.

Mas as pessoas infectadas com a variante Delta eram mais jovens, em média. Quando os pesquisadores organizaram os dados por idade e outros fatores que são conhecidos por afetar a gravidade da doença, eles descobriram que, quando a Delta causou a infecção, o risco geral de ser hospitalizado era mais de duas vezes maior.

Leia também   Spotify aumenta preços de planos Premium no Brasil; veja valores

Quando os pesquisadores separaram os dados por estado de vacinação, eles confirmaram que a Delta dobrou o risco de hospitalização para aqueles que não foram vacinados ou receberam sua primeira dose menos de três semanas antes. O grupo totalmente vacinado era muito pequeno para ser analisado rigorosamente de forma isolada, disseram os pesquisadores.

“Já sabemos que a vacinação oferece excelente proteção contra a Delta e, como essa variante é responsável por mais de 98% dos casos de Covid-19 no Reino Unido, é vital que aqueles que não receberam duas doses da vacina o façam o mais rápido possível”, disse em comunicado Gavin Dabrera, principal autor do artigo e epidemiologista da agência de Saúde Pública da Inglaterra.

(Agência O Globo)

Read Previous

EUA conclui que covid-19 não foi desenvolvida como arma biológica

Read Next

MEIs podem regularizar impostos em atraso até o dia 31