• 21/06/2024

Novembro deve ter chuvas acima da média nas regiões Sul e Sudeste do país

El Niño, que causou temporais na região Sul do país durante o inverno, deixando várias cidades embaixo d’água e provocando dezenas de mortes, provocou o efeito inverso no Norte, causando secas históricas nos rios da Amazônia.

Mesmo com a chegada da primavera, os efeitos do fenômeno climático permaneceram e devem seguir assim pelo menos até maio do ano que vem. Com isso, a previsão para o mês de novembro é de chuvas acima da média nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste e abaixo da média no Norte e Nordeste.

“A previsão é que o El Niño influencie o clima no país até o ano que vem. A probabilidade é de 50% de ainda continuar até pelo menos maio. Depois disso, começará a diminuir”, diz a meteorologista Dayse Moraes, do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), órgão ligado ao Mapa (Ministério da Agricultura e Pecuária).

Leia também   Diretor da OMS sobre Bolsonaro: países têm soberania para escolher vacinas

De acordo com o Inmet, em grande parte das regiões Centro-Oeste e Sudeste a previsão indica chuva acima da média, com volumes que podem superar 200 mm. Apenas Minas Gerais e Espírito Santo devem ter pouca precipitação no mês.

No Sul, principalmente no oeste do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, os volumes de chuva podem ficar acima de 160 mm, o que manterá o solo úmido.

Nessas regiões, existe a possibilidade de temporais localizados, que podem provocar transtornos como alagamentos, deslizamentos de terra, queda de granizo, raios e rajadas de vento.

Por outro lado, Norte e Nordeste devem continuar sofrendo com o clima seco, com acumulados abaixo de 80 mm no Norte e 40 mm no Nordeste, o que deve manter o nível dos rios ainda baixos na região amazônica.

Mapa mostra pouco volume de chuva no norte e nordeste (em amarelo) e precipitação mais acentuada no sudeste e sul (em azul)
Mapa mostra pouco volume de chuva no norte e nordeste (em amarelo) e precipitação mais acentuada no sudeste e sul (em azul) – Inmet

“O período chuvoso no Norte começa agora. Mas a previsão é que no trimestre de novembro a janeiro deva chover de 800 mm a 900 mm, o que é pouco. A média normal para novembro na região é em torno de 260 mm a 300 mm, mas a previsão é de apenas 80 mm este ano”, diz a meteorologista.

Leia também   Eclipse anular do sol neste sábado poderá ser visto do Brasil

O Inmet ainda prevê que em áreas do Matopiba (região que engloba os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), os baixos volumes de chuva previstos ainda vão manter os níveis de água no solo baixos, exceto em áreas do sul do Tocantins e extremo oeste da Bahia, onde haverá uma ligeira recuperação da umidade no solo. “Essa condição poderá impactar a evolução do plantio e desenvolvimento inicial dos cultivos de primeira safra que já estão em andamento”, destaca o instituto.

Mapa do Inmet mostra que o mês de novembro será de calor em todo o território nacional
Mapa do Inmet mostra que o mês de novembro será de calor em todo o território nacional – Inmet

TEMPERATURA SOBE EM TODO O PAÍS

Se a chuva sofrerá a influência direta do El Niño e ficará irregular pelo país, o mesmo não pode ser dito da temperatura. Segundo o Inmet, a previsão é que o mês de novembro seja com temperaturas acima da média em todas as regiões, principalmente em áreas de Mato Grosso, Pará, Tocantins, Maranhão, Piauí e oeste da Bahia, onde as médias podem superar os 28ºC.

Leia também   Queiroga pede uso de máscara e diz que ordem é "evitar lockdown"

Sul e Sudeste também devem ter dias mais quentes, no entanto, a temperatura deve amenizar após dias seguidos de chuva, com a média ficando inferior a 24ºC.

Em São Paulo, as madrugadas seguirão mais frescas, alternando entre 14ºC em dias mais chuvosos e 27ºC em dias secos. Enquanto isso, as máximas ficarão entre 21ºC e 30ºC durante as tardes.

(Folha de São Paulo)

Read Previous

Receita paga nesta terça-feira lote residual do IRPF

Read Next

Israel bombardeia campo de refugiados em Gaza e mata 50 pessoas