• 4 de março de 2024

Nísia Trindade diz quais serão primeiras medidas do Ministério da Saúde

Os programas de vacinação e a retomada do contato com os municípios e estados estarão entre as primeiras medidas da ministra da Saúde, Nísia Trindade, à frente da pasta. Trindade falou sobre os planos no Ministério logo após chegar à cerimônia de posse do presidente Lula em Brasília neste domingo, 1º de janeiro.

Veja também

Limite de público na posse na Praça dos Três Poderes pode subir para 40 mil

“As primeiras medidas que vamos anunciar a partir de amanhã envolvem a retomada de todos os esquemas de vacinação que estão atrasados”, disse Nísia, em entrevista.

Leia também   Elon Musk assume Twitter com demissões no alto escalão

“Também vamos ter um cuidado especial com a atenção básica. Retomar o contato com estados e municípios para reestabelecer o SUS [Sistema Único de Saúde].”

Após a posse de Lula oficialmente como presidente, Trindade e os demais ministros escolhidos tomam posse nesta segunda-feira, 2. A cerimônia no Ministério da Saúde acontece às 11h30.

Em seu discurso de posse, Lula também dedicou parte da fala à saúde. O presidente lamentou as quase 700 mil mortes no Brasil por covid-19, o que chamou de uma grande “tragédia”, e disse que o orçamento da saúde será recomposto (leia na íntegra).

Leia também   Brasil sediará reunião de líderes do G20 em 2024

Nísia Trindade foi indicada como futura ministra da Saúde há duas semanas, e substituirá o médico Marcelo Queiroga, último ministro da área no governo do presidente Jair Bolsonaro (que teve também nomes como Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello no comando da pasta).

Trindade era, até então, presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), cargo que ocupava desde 2017.

A ministra assume uma pasta que foi alvo de críticas pela gestão da pandemia da covid-19 no governo Bolsonaro. Terá também de lidar com problemas estruturais e momentâneos da saúde brasileira, como a gestão do SUS, fila de exames já existentes e pioradas na pandemia, orçamento necessário para melhoria dos serviços e relação com estados e prefeituras, entre outros.

Leia também   Câmara pode votar MP que complementa o valor do Auxílio Brasil

(Portal Exame)

Read Previous

Sites e portais de notícias são excluídos da cobertura jornalística do plenário

Read Next

Ibaneis é reconduzido ao cargo de governador do Distrito Federal