• 24/07/2024

Mulheres ganham 17% a menos que os homens, diz IBGE; veja diferenças por áreas

Em 2022, as mulheres ganhavam, em média, 17% a menos que os homens, segundo as Estatísticas do Cadastro Central de Empresas (CEMPRE), divulgadas nesta quinta-feira, 20, pelo IBGE. Em outra perspectiva, o instituto explica que é como se as mulheres fossem remuneradas com 85,5% do salário dos homens.

  • Em média, homens assalariados receberam R$ 3.791,58;
  • E as mulheres assalariadas receberam R$ 3.241,18.

Em duas das três naturezas jurídicas das empresas analisadas, a discrepância se acentua com relação à média geral. Apenas em entidades sem fins lucrativos é que as mulheres recebem um pouco mais próximo ao que recebem os homens assalariados.

  • Na Administração Pública, uma mulher recebe o equivalente a 79% do salário de um homem. Este setor é o que melhor remunera os trabalhadores assalariados, com uma mulher ganhando, em média, R$ 4.659,99 e um homem, R$ 5.898,68;
  • Em Entidades Empresariais, uma mulher recebe o equivalente a 77,6% do salário de um homem. Este é o setor com remuneração mais baixa para trabalhadores assalariados, com uma mulher ganhando, em média, R$ 2.644,72 e um homem, R$ 3.407,87;
  • Em Entidades sem fins lucrativos, uma mulher recebe o equivalente a 91,5% do salário de um homem. Em média, uma mulher ganha R$ 3.074,18 por mês, e um homem, R$ 3.361,37.
Leia também   Com vacinação, Brasil terá novo horizonte em 60 dias, diz Guedes

Em nenhuma das naturezas jurídicas, há equiparação salarial ou a mulher recebendo mais que o homem.

No geral, a força de trabalho assalariada é formada 54,7% por homens e 45,3% por mulheres.

Remuneração por atividade econômica

O CEMPRE constatou que, em 2022, havia 9,4 milhões de empresas, que ocuparam 66,3 milhões de pessoas. Mas, desse total, apenas 2,9 milhões empregava pessoas assalariadas, sendo o restante formadas apenas por sócios e proprietários.

O salário médio mensal, em 2022, foi R$ 3.542,19. Entre as atividades econômicas, os maiores valores foram pagos pelo setor de Eletricidade e gás (R$ 8.312,01), seguido por Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (R$ 8.039,19) e Organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais (R$ 6.851,77).

Leia também   Aeroportos devem receber 1,36 milhão de passageiros durante o carnaval

“Apesar de tais atividades pagarem salários médios mensais mais elevados, ocuparam, juntas, 1,3 milhão de pessoas, ou seja, somente 2,6% do pessoal ocupado assalariado”, destaca o analista da pesquisa do IBGE, Eliseu Oliveira.

Os menores salários médios mensais foram pagos por Alojamento e alimentação (R$ 1.769,54), Atividades administrativas e serviços complementares (R$ 2.108,28) e Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (R$ 2.389,15).

“Essas atividades que pagaram salários médios mensais menores, absorveram juntas cerca de 7,6 milhões de pessoas, ou seja, 15,2% do pessoal ocupado assalariado”, pontua.

Leia também   Sem citar SUS, governo propõe autoteste com venda só em farmácias

Remuneração por grau de instrução

Em análise por escolaridade, verificou-se que 76,6% do pessoal ocupado assalariado não tinha nível superior e 23,4%, tinha. O pessoal ocupado assalariado sem nível superior recebeu, em média, R$ 2.441,16 e o com ensino superior, R$ 7.094,17, aproximadamente três vezes mais.

“Sob outra ótica, é possível avaliar que o pessoal ocupado assalariado sem nível superior recebeu, em média, 2,0 salários mínimos, ao passo que o pessoal com nível superior, 5,9 salários mínimos”, complementa o pesquisador Eliseu Oliveira.

Apenas duas atividades apresentaram maior participação de pessoas com nível superior: Educação (64,3%) e Atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (60,6%), Administração pública, defesa e seguridade social (47,4%) completa o ranking dos três setores que mais ocupam pessoas com essa escolaridade.

(Portal Terra)

Read Previous

Geral Cantor Chrystian morre em São Paulo, aos 67 anos

Read Next

Moraes arquiva inquérito sobre campanha contra PL das Fake News