• 26 de janeiro de 2021

Goiás vai receber 3,2 milhões de doses da vacina CoronaVac, do Instituto Butantan, 7% do total anunciado pelo Ministério da Saúde

Governo de Goiás está preparado para iniciar vacinação já no final de janeiro ou no início de fevereiro, informa secretário da Saúde, Ismael Alexandrino. Estado fez aquisição de 3,8 milhões de kits com seringa e agulha, o que é suficiente para imunizar mais da metade da população goiana. País terá 46 milhões de doses

Goiás vai receber 7% do total de vacinas anunciadas nacionalmente por meio do acordo firmado entre o Ministério da Saúde (MS) e o Instituto Butantan. Isso corresponde a 3,2 milhões de doses da CoronaVac, produzida pelo laboratório Sinovac, do total de 46 milhões previstas para todo o país, mantendo-se a proporcionalidade em relação aos outros Estados.

O Governo de Goiás já está preparado para iniciar a vacinação já no final deste mês de janeiro ou logo no início de fevereiro, informa o secretário de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO), Ismael Alexandrino. “A vacina está cada dia mais perto. Provavelmente, na próxima semana, teremos sinalização do Ministério da Saúde (MS) sobre datas”, destaca.

Leia também   Empresas devolverão mais de R$ 23 milhões ao Estado por prestação de serviços irregulares em 2016 e 2017

Em Goiás, há insumos suficientes para proteger a população goiana. “Estimamos que há de 1,5 a 1,8 milhão de pessoas nos grupos de risco no Estado. Fizemos a aquisição de 3,8 milhões de kits com seringa e agulha, o que é suficiente para vacinar mais da metade da população goiana”, diz o secretário. “Fomos o primeiro Estado brasileiro a fazer essa compra. De forma que, quando o Ministério da Saúde nos enviar a vacina, teremos condições de distribuir e aplicá-la”, detalha Ismael Alexandrino.

O pedido para uso emergencial das doses foi recebido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta sexta-feira (08/01). O resultado dos estudos divulgados sobre a CoronaVac aponta uma eficácia de 78% contra a Covid-19. “Isso significa que, de cada 100 pessoas vacinadas, 78 não se infectaram pelo coronavírus. Outros 22 indivíduos tiveram a doença, mas os casos foram leves e nenhum óbito foi registrado. Esses números são muito positivos”, avalia Alexandrino.

Leia também   Indústria goiana cresce 5,4% em junho e fica em 1º lugar no País, segundo IBGE

Os preparativos de Goiás para receber as doses estão previstos no Plano de Operacionalização para a Vacinação contra Covid-19, que prevê como será a distribuição e armazenamento do imunizante no território goiano, a capacitação dos trabalhadores da saúde, entre outras ações.

Na segunda-feira (11/01), o documento será apresentado para todos os 246 municípios durante reunião da Comissão Intergestores Bipartite. “Esperamos que todos falem a mesma língua e transmitam adequadamente as informações para a população”, pontua Alexandrino. Nesta semana, o plano foi apresentado ao Centro de Operações de Emergências (COE) em Saúde Pública de Goiás para Enfrentamento ao Coronavírus.

Inicialmente, a expectativa é a de que idosos e profissionais de saúde que atuam na linha de frente de combate à Covid-19 sejam priorizados. Entretanto, ainda é necessário aguardar ajustes do Ministério da Saúde sobre a estratificação das faixas etárias, no caso da população idosa.

Leia também   Gilmar Mendes defende vacinação 'urgente' contra a covid-19 em todo o País

“Estamos trabalhando para termos o maior número de doses para proteger os goianos. Porém, precisamos respeitar o princípio da equidade, priorizando aqueles mais expostos aos riscos. Nossa intenção, neste momento, é a de evitar mortes e, em seguida, a disseminação do vírus”, pontua o titular da Secretaria de Estado da Saúde.

O secretário observa ainda que, neste primeiro momento, a totalidade de 7 milhões de goianos não será imunizada, pois a vacinação de crianças e gestantes ainda não está prevista para 2021, visto que é necessário aguardar estudos sobre a aplicação das doses nestas populações.

(Governo de Goiás – Secretaria de Estado da Saúde)

Avatar

Destaque DF

Read Previous

Nação BRB FLA bate a marca de 100 mil contas abertas

Read Next

Coronavírus: maioria tem sintomas seis meses após alta hospitalar