• 14 de maio de 2021

Pagamento por aproximação cresce no país; entenda as vantagens e como usar

Pandemia e iniciativas do setor ajudaram a popularizar a modalidade. Transações podem ser feitas com ajuda de cartões físicos ou por meio das carteiras digitais.

O pagamento por aproximação tem ganhado força entre os brasileiros: foi usado 587 milhões de vezes em 2020. Isso representa um salto de 374% em relação ao ano anterior, segundo dados da Abecs, associação que representa o setor de cartões. Mas o que o método oferece de tão vantajoso?

A transação sem contato acontece com ajuda da tecnologia Near Field Communication (NFC). Cada transação realizada gera uma espécie de criptografia, que protege os seus dados e os do cartão.

O pagamento pode ser feito com ajuda de cartões físicos equipados com a tecnologia ou por meio das chamadas carteiras digitais. Neste caso, basta cadastrar o cartão no celular ou nos wearables, também chamados de equipamentos vestíveis, como um relógio inteligente, para fazer compras presenciais apenas por aproximação.

Leia também   Imposto de Renda: é melhor fazer a declaração completa ou simplificada?

Pagamento por aproximação ou carteiras digitais?

Por ser um método mais seguro e conveniente, a verdade é que era uma questão de tempo para que ganhasse a adesão dos brasileiros. Mas as mudanças no comportamento de consumo causadas pela pandemia de covid-19 aceleraram sua popularização.

Diversas iniciativas de empresas do setor de cartões também contribuíram para disseminar a modalidade. A diretoria da Abecs aprovou em dezembro o aumento de 100 para 200 reais do limite para transações sem a necessidade de digitar a senha.

É o caso do BTG+, banco digital do BTG Pactual, que chegou ao mercado no final de janeiro com a proposta de oferecer uma experiência financeira inovadora e personalizada. Entre diversos benefícios oferecidos, os cartões já chegam na casa dos clientes com a tecnologia contactless, de pagamento por aproximação.

Leia também   Imposto de Renda 2020: veja quem precisa declarar; entrega vai até 30 de abril

Além disso, diferentemente da maioria dos bancos, que oferecem cartões com benefícios fechados, no BTG+ o cliente pode escolher qual cartão mais combina com seu momento de vida e quais benefícios deseja ter acesso. Há também o Invest+, programa que transforma parte dos gastos no cartão em investimento, aplicados em um fundo simples de renda fixa do BTG, que rende 100% do CDI e tem taxa zero.

Segurança nas compras online

Para compras online, é possível usar um cartão virtual. Com ele, suas compras ficam mais seguras porque, diferentemente do cartão físico, o cartão virtual fica disponível só em seu app BTG+ e é usado exclusivamente para compras online e pagamentos recorrentes. O número pode ser cadastrado, por exemplo, em aplicativos de delivery e streaming. Assim, é possível evitar o roubo e uso de suas informações em compras mal-intencionadas.

Leia também   BC aprova 762 instituições para ofertar o Pix a partir de novembro

Como usar a carteira digital?

Caso o cliente prefira deixar o cartão de plástico em casa e usar as carteiras digitais, pode cadastrar o cartão físico ou virtual do BTG+ pelo Google Pay ou Apple Pay. Basta seguir o passo a passo do aplicativo escolhido, verificar os dados e aceitar os termos e condições.

Feito isso, é possível pagar com a carteira digital em qualquer estabelecimento que ofereça o pagamento por aproximação. Nesse caso, não há limite que exija a digitação da senha.

A autenticação da transação para compras presenciais segue o padrão de desbloqueio do aparelho do cliente. Ou seja, é possível usar a biometria, o reconhecimento facial ou a senha do próprio smartphone.

(Portal Exame)

Read Previous

Governo de Goiás lança Cartão Alimentação de R$ 30 para cada um dos 530 mil estudantes da rede estadual

Read Next

Governador Ronaldo Caiado manifesta pesar pela morte do empresário e líder do partido Democratas na região do Entorno de Brasília, Cassiano Franco