• 3 de agosto de 2021

Bancos não cobram sobre limite do cheque especial desde abril de 2020

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) informou neste domingo que nenhum de seus associados cobram tarifas dos clientes que têm um limite maior do cheque especial desde 16 de abril do ano passado, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) publicou liminar suspendendo essa cobrança.

Veja também

Testes de covid-19 poderão ser deduzidos do Imposto de Renda; saiba como

Na sexta-feira (30), o STF julgou o mérito da ação movida pelo Podemos e decidiu que a cobrança de tarifa pelos bancos apenas pela disponibilização de um limite maior para o cheque especial é inconstitucional.

Leia também   Petrobras eleva preço do litro da gasolina em 6% e do diesel em 3,7%

No fim de 2019, o governo limitou os juros do cheque a 8% ao mês – ou 151,8% ao ano – e autorizou as instituições financeiras a cobrarem tarifa de até 0,25% sobre o limite do cheque que ultrapassar R$ 500.

Por unanimidade, os ministros do Supremo decidiram que os bancos não podem cobrar uma tarifa dos correntistas apenas por disponibilizarem um limite maior de cheque especial, mesmo que os clientes não acessem o instrumento.

O relator, ministro Gilmar Mendes, considerou que a criação da taxa só poderia ter sido feita por mudança de legislação, e não por um mero ato do CMN. Para ele, a criação dessa tarifa para compensar a perda de receitas dos bancos tem características de “taxa tributária”.

Leia também   Bolsonaro diz que sanciona mudanças na CNH na próxima semana

Além disso, representaria “antecipação escamoteada” da cobrança de juros, colocando os consumidores em uma posição de vulnerabilidade econômico-jurídica.

(Portal Exame Invest)

Read Previous

Caiado transforma Goiás em canteiro de obras com R$ 1 bilhão de investimentos até o final de 2021

Read Next

Detran-DF lança campanha Maio Amarelo nesta segunda (3)